sábado, setembro 10, 2005

A história foi a seguinte....


"dormi de 4:30 às 7:20."

"Em alguns trabalhos do GIA, a exemplo de Cama, a justaposição de objetos descontextualizados lembra o “método paranóico-crítico de sistematização da confusão” de Dali, que servira de base para numerosas associações e inter-relações delirantes em várias obras. O delírio aqui não é ver o objeto “cama” e uma pessoa dormindo na praça, mas sim a indiferença da sociedade diante da cena cotidiana de pessoas que dormem na rua."

(fragmento do texto "Entre Dois Nadas o GIA" de Alejandra Muñoz)

2 comentários:

Silvia disse...

Nossa! Legal essa idéia Pedro!
Gostei do blog!

morgana poiesis disse...

um dia desses fui pro largo 2 de julho achando que seria lá uma intervenção a ser feita. nao encontrei os artistas, estava no lugar errado. mas havia uma pessoa dormindo num banco, embrulhada, e eu tive duvidas se era aquela a intervenção que eu procurava.